<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11610014\x26blogName\x3devidence+and+chlorine\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://claya.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://claya.blogspot.com/\x26vt\x3d-5922575046210966920', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

domingo, abril 19, 2009

the parameter

tyler

«a mudança em autoprocesso serve [de] recurso para misturar pequenas porções de todos os cantos de [um] contexto [que] é o que o tempo permite [porque] não é uma persuasão. fotografia da escrita são as palavras [...] em verbo ou substantivo [que] chega ou parte da nascente»*


*exercício de transfusão por fusão em difusão, a partir de tradução de Graça Capinha de «Six Six Six call Control, 6-6-6 call Control», de Karen Mac Cormack.

Etiquetas:

sábado, abril 18, 2009

quinta-feira, abril 16, 2009

antes do b.

bigbang
jpl


«o vazio é a única grande maravilha do mundo.» Magritte


antes do bigbang, não havia nada. havia só a efervescência e a matéria inacabada. havia só uma árvore a pairar sem saber onde pousar e é por isso que as árvores parece que têm pouso mas não têm nada a não ser elas mesmas sem pouso em suspenso antes do bigbang, bang, bang. havia um «império das luzes» a colidir. a colisão das coisas em silêncio sem se tocarem. havia uma espécie de nada e o efeito inócuo do silêncio contra tudo porque então o silêncio estava prestes a transformar-se em nada antes de ser tudo. havia o.



Etiquetas:

terça-feira, abril 14, 2009

.o silêncio dos outros #(15)


Por Bruno Santos

que[brando o silêncio

o silêncio ensurdecedor

o silêncio do culpado

a culpa sentida no silêncio

ou o grito do silêncio

manifestação silen[ciosa

do silêncio dos inocentes

o silêncio da tua face

por vezes dizia

ensurdecedor

silêncio silente ou sibilante enternecimento

temos para nós

um p[acto de silêncio

ou de certa modo o silêncio inco[modado

o fim

do silêncio

Etiquetas: