<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11610014\x26blogName\x3devidence+and+chlorine\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://claya.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://claya.blogspot.com/\x26vt\x3d-5922575046210966920', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

segunda-feira, janeiro 12, 2009

'scars and glasses'*

t.

já não digo mais nada que não tenho mais nada para dizer hoje. o tempo que é aqui já em suspenso, tempo parado onde não digo mais nada. e todas as palavras que direi a seguir não serão as de hoje jamais nunca que assim não são as minhas porque não as tenho em mais nada do que quero dizer. já não digo mais nada, digo. digo. e digo outra vez quando estou a dizer para que saibam que não quero dizer porque é preciso dizer que não dizemos para nos entenderem e saberem que não estamos de facto a querer dizer. porque não interessa porquê porque fazemos as coisas se elas nos são pesadas de matar e não as suportamos dizer e não temos as palavras de as conseguir dizer e não me exijam mais do que isso, as palavras que posso dizer. e as que digo não digo hoje mais, não as posso dizer. que se digam elas a si que sabem como se dizer e o que dizer.

*- a.



Etiquetas:

3 Comments:

Blogger _trickster_ said...

e como ao não dizê.las. dizê.las todas. como se nunca se começasse. nem nunca se terminasse. para além delas buscando sempre

13 janeiro, 2009 18:19  
Blogger Tyler said...

(...)sabes onde é que fica o fim do mundo? (...) :)
Abraço

15 janeiro, 2009 17:10  
Blogger sandra g.d. said...

trickster: buscando como terminando como sendo nessa procura até ao fim de não dizer nada e com isso dizermos tudo.

tyler: o diálogo - é por ele que pergunto, com as palavras, nelas. :) abraço

16 janeiro, 2009 23:10  

Enviar um comentário

<< Home