<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11610014\x26blogName\x3devidence+and+chlorine\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://claya.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://claya.blogspot.com/\x26vt\x3d-5922575046210966920', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

sexta-feira, abril 29, 2005

Be (side)

"Come out upon my seas,
Cursed missed opportunities
Am I a part of the cure
Or am I part of the disease" ? C

3 Comments:

Anonymous papoila said...

Disseram-me um dia que eu iria ser feliz...quem soprou ao meu ouvido esse amora de vitalidade?
Enganou-se, como se enganam tantos homens, quando precisaram de colocar um sorriso na cara de uma criança doente?? A maior felicidade dos homens talvez seja mesmo a ilusão de que enganando-se e enganando espalharão sorrisos e arrancarão as máscaras da tristeza, da desilusão, do desamor da desesperança que esconde tantos e tão inesperados rostos...

"Estou cansado, é claro,
Porque, a certa altura, a gente tem que estar cansado.
De que estou cansado, não sei:
De nada me serviria sabê-lo,
Pois o cansaço fica na mesma.
A ferida dói como dói
E não em função da causa que a produziu.
Sim, estou cansado,
E um pouco sorridente
De o cansaço ser só isto –
Uma vontade de sono no corpo,
Um desejo de não pensar na alma,
E por cima de tudo uma transparência lúcida
Do entendimento retrospectivo...
E a luxúria única de não ter já esperanças?"

Álvaro de Campos

29 abril, 2005 21:41  
Blogger Chauffeur Navarrus said...

Como seu chauffeur é a primeira viagem?
Tenho a vantagem de carregar no banco de trás um caixote com histórias que arrumei à pressa, entre dois clientes e um abastecimento precipitado.
Acaba por ser engraçado como transportei felizes e descontentes, homens magoados por histórias tão diferentes.
Levei jovens namorados, casais chateados, ser embriagados pela frustração inocente, de quem nas teias da mente se perdeu.
Tantas vezes levei a casa a jovem inocência acompanhada pela infiel realidade da descoberta empírica.
Transportei doentes, prepotentes e outras gentes que comigo se deixaram cair, até porque quando a porta se abre e o corpo se atira para o banco, de imediato a mesma se fecha e a máscara cai.
De repente, o "ser doente" surge na qualidade se "ser humano".
- São 27 escudos, senhora! Aqui ainda não há €uros

30 abril, 2005 01:15  
Blogger Alfie said...

Para vós dois: o cansaço é a benção que nos dão quando temos a certeza de que ainda não atingimos o limite. Quer seja na viagem de táxi, quer seja na viagem da alma, que no fundo são a mesma coisa. :)

02 maio, 2005 19:01  

Enviar um comentário

<< Home