<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11610014\x26blogName\x3devidence+and+chlorine\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://claya.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://claya.blogspot.com/\x26vt\x3d-5922575046210966920', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

terça-feira, abril 26, 2005

Alien convida...RB



Tell me sweet little lies


Diz. Diz-me. Porque queremos tudo? Porque deixamos que o vento nos transporte? Porque acreditamos na partida como no cais-de-espera? Porque nos deixamos embalar por canções de embalar? E por postais de ilhas selvagens sem Robinson Crusoe? E por contos de fadas boas, fotografias de actores mortos e bonitos, letras estúpidas de boleros sábios, livros sagrados, bares esconsos, sorrisos nocturnos? Porque esperamos nós sempre? Diz. Diz-me. Diz-me ao ouvido. Inventa.

2 Comments:

Anonymous FJ said...

Porque não?
Ao pedir assim torna-se quase impossivel não responder a solicitação.
Nós esperamos porque não sabemos se já chegou o que esperámos.
Nós esperamos porque, mesmo com as novas tecnologias, ainda não temos na nossa cabeça um dispositivo automático que nos garante a confirmação do incerto.
Nós esperamos porque esse inexistente dispositivo não transforma o incerto em absoluto.
Por esta razão nunca teremos o fax em casa à nossa espera, com letras garrafais, a tranquilizar-nos com a afirmação:
" A partir de hoje, tudo vai correr bem " ou...
" É aqui! Estás no sítio certo".
Não nos devemos iludir pelo que nos querem fazer parecer, vender ou mostrar.
No filme " O amor acontece ", a mais bela história de amor que lá pára no meio, foi a que ninguém viu.
É tão triste.
Se calhar, só por esta razão, o filme dever-se-ia chamar " O Amor é tão complexo e nem assim perdem tempo a tentar percebe-lo".
Assim seria grande demais e não vendia tão bem.
É pena!

29 abril, 2005 23:29  
Anonymous fj said...

Já vimos o filme?
"Tell me sweet little lies"

04 maio, 2005 19:47  

Enviar um comentário

<< Home