<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11610014\x26blogName\x3devidence+and+chlorine\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://claya.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://claya.blogspot.com/\x26vt\x3d-5922575046210966920', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

segunda-feira, julho 18, 2005

Slowdive às rodelas

No mais pequeno gesto, revela-se o rumor que cosemos com fio de aço na permanência do espírito. Na pergunta, revelamos o gosto que temos pela dúvida e pela sonora incerteza da matéria que nos provoca no rompimento, entre a fina bruma da espécie e a incompreensível consistência das coisas. Às vezes, um buraco é uma cisterna provocadora, imerecida, sossegada no pensamento de um motor atrasado, no tempo, no virar da consciência e da silenciosa opção pela verdade e pela entrega que descobrimos no imprevisto. Escutadas as vozes da impossível prontidão, o destino carrega-se de memórias antecipadas, num virar inseguro dos segundos, dos minutos e das horas. E depois mais tarde, experimentamos furar os olhos, de rajada, com a cabeça e a carapaça, enquanto esperamos que, no dia a seguir, acordemos, ressacados, esmagados pela luz da pertinência.