<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11610014\x26blogName\x3devidence+and+chlorine\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://claya.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://claya.blogspot.com/\x26vt\x3d-5922575046210966920', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

terça-feira, abril 12, 2005

Imaginar ou morrer

É preciso imaginar. É preciso abrir um buraco na camada mais profunda da epiderme e depositar lá as palavras que não saem da boca e que embrutecem nos lábios estáticos. É preciso ter voz e saber usar o grito. É preciso imaginar. É preciso não morrer.

3 Comments:

Anonymous erre said...

Sim, o pior da morte deve ser ao bloqueio da imaginação. Aguentamos 60 segundos sem respirar, pois aguentamos, mas nem um sem endrominar.

13 abril, 2005 01:20  
Blogger Nitsua said...

Diria mais, o pior da vida será o apagar da imaginação. Como uma morte, que mesmo morta imagina sem nunca mais respirar.

13 abril, 2005 01:28  
Blogger Alfie said...

Por isso mesmo. Imaginemos. Coisas boas ou más. Mas imaginemos! Please!

14 abril, 2005 00:44  

Enviar um comentário

<< Home